MAPA CONCENTRA LO-FI DE PRIMEIRA

É “low fidelity”, mas ainda assim é “high”, no mínimo aos apreciadores do tipo de som. Viciante é uma das palavras mais adequadas quando se trata da banda MAPA, que já passou por duo e projeto solo de Matheus Patriarcha. Lembro-me quando escutei “E EU NADA” pela primeira vez. Aqueles poucos minutos se tornaram extensas horas durante o segundo semestre de 2014, principalmente nos intervalos do colégio, os quais eram ansiosamente esperados para voltar aos fones. Tive a sorte de encontrar e assim escutá-los por causa da Van der Vous, na época Matheus ainda era um dos integrantes da banda e em breve aconteceria um evento com MAPA e Van der Vous (não foi o único evento). Claro que eu fui às pressas escutar o que havia de novo para mim, sempre gostei de surpresas. Boas surpresas.

O tempo foi passando, fui conhecendo outros sons, aumentando a frequência de shows. Então, em 2016 informaram-me sobre o “PRCR N”. O novo disco saiu. Escutei. Apesar de ter gostado muito de LADO DOCCYY e NU, estava completamente acostumada ao antigo trabalho, e não pude perceber a densidade de uma faixa como GRT MRT, a beleza encantadora de BIBIO e a maravilhosa PRCR N. Estava ainda ligada aos encantos de FIM, minha favorita desde a primeira vez por conta da sua melancolia, M MENT e TANT FAZZ.

Talvez uma das minhas maiores surpresas nos últimos meses, tenha sido a notícia da nova formação de MAPA desta vez, completa, sendo composta por Matheus Patriarcha, Pedro Barbosa, Gabriel Burgos, Rodrigo Reis e Ramon Gonçalves. Fiquei curiosa pra ver como a banda estaria. Tirando o fato de que também já estava sem vê-la há algum tempo. Meu último show havia acontecido em Camaçari, no dia 16 de abril, véspera do meu aniversário, que fui comemorar na edição especial do Extra Extra Rock contando com a Declinium e Frabin (SC).

No primeiro dia do mês de março deste ano minha querida faixa FIM alongou-se chegando aos seus sete minutos, já com o tom melancólico parcialmente escondido. Meu saudosismo haveria de adequar-se às mudanças. Afinal, mudanças são necessárias. Pude provar este fato a mim mesma, novamente. MAPA já era incrível, e a nova fase superou-se. Meu vício durante um período apagado teve sua recaída, ainda pior. Os últimos shows têm sido sensacionais, não gostaria de perder os próximos.

Página no Facebook: https://www.facebook.com/mapaoficial/

Confira as músicas no SoundCloud: https://soundcloud.com/mapapam

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s